segunda-feira, 3 de junho de 2013

Patolino nocauteia Viscardi e enfrenta Leo Santos na final TUF Brasil 2

Argentino Santiago Ponzinibbio vence outra semifinal, mas sofre lesão e dá lugar a Léo Santos na final, que acontece no próximo sábado em Fortaleza

>> Siga o Site no Twitter: @DentrodoRingue
>> Siga o Site no Facebook.com/DentrodoRingue

O Time Nogueira garantiu o título da segunda temporada do The Ultimate Fighter Brasil - Em Busca de Campeões, com a eliminação do último representante do Time Werdum, Viscardi Andrade, derrotado por nocaute técnico por William Patolino nas semifinais do programa, no episódio deste domingo. Na final, o carioca enfrentará um companheiro de equipe, mas não o outro vencedor das semifinais: pelo segundo ano consecutivo, um dos finalistas sofreu uma lesão que o tirou da grande decisão.

O argentino Santiago Ponzinibbio derrotou Léo Santos, seu companheiro de Time Nogueira, na outra semifinal. Todavia, uma lesão no braço direito sofrida durante o combate exigiu um longo período de recuperação e o impediu de disputar a grande final, no próximo sábado, no TUF Brasil 2 Finale. Com isso, Patolino terá pela frente Léo Santos na decisão em Fortaleza.

William Patolino e Léo Santos farão a grande final do TUF Brasil 2 (Foto: Editoria de Arte)

O episódio

Os dois treinadores, Rodrigo Minotauro e Fabricio Werdum, se reuníram com o presidente do UFC, Dana White, numa teleconferência para decidir quais seriam as lutas casadas para as semifinais. Surpreendentemente, tanto Minotauro quanto Werdum pediram para que Patolino enfrentasse Viscardi, o que deixou Leonardo Santos contra Santiago Ponzinibbio. Dana perguntou quem os técnicos achavam que venceria a competição, e Werdum, obviamente, respondeu que seria Viscardi. Já Minotauro apontou "o argentino", a quem considerou "um matador".

Em seguida, foi a vez de os lutadores terem uma conversa com Dana. Os três representantes do Time Nogueira disseram que gostariam de pegar Viscardi, único da outra equipe. Léo Santos, porém, disse que sua segunda opção seria Patolino. Viscardi, por sua vez, declarou que gostaria de enfrentar Patolino, por considerar que conseguiria um nocaute rápido.

Na academia, os dois técnicos anunciaram as semifinais. Léo Santos foi chamado para enfrentar Santiago Ponzinibbio, o que significava que Viscardi Andrade enfrentaria William Patolino.

- Eu tinha pedido essa luta, e vou atropelar quem estiver pela minha frente - prometeu Viscardi.

- Ele já bateu bastante pessoas da minha equipe. Vou para cima dele com tudo, vou lutar com ele em todas as áreas, intimidar ele, vou destruir ele - afirmou Patolino, que ainda deu uma piscadela para o adversário na encarada.

Na pesagem, todos os lutadores bateram 77kg. Tanto Patolino quanto Viscardi precisaram ficar nus por trás da toalha para bater o limite da categoria meio-médio.

Para as semifinais, a casa recebeu a visita de dois lutadores do UFC: o peso-pesado Antônio Pezão e o peso-meio-médio Erick Silva, ambos lutadores da equipe de Minotauro. Os dois vestiram as camisas do time, e Pezão avisou que ninguém usaria a blusa amarela de Werdum. Para a luta entre Léo Santos e Santiago Ponzinibbio, porém, o primeiro teve de passar ao vestiário do Time Werdum para se preparar, sob o comando dos assistentes Luiz Dórea, Vitor Miranda e Eric Albarracin. O segundo entrou com Everaldo Penco, Shaymon Moraes e Rogério Minotouro como seus córneres. Antes do combate, o árbitro Mário Yamasaki avisou que, diferente do que aconteceu por toda a temporada, as semifinais teriam três rounds de cinco minutos, com um quarto round de desempate se fosse necessário.

Primeira semifinal: Léo Santos x Santiago Ponzinibbio

Ponzinibbio começou dominando o centro do octógono, mas foi Santos quem acertou o primeiro golpe, um direto de direita que desequilibrou seu adversário. O argentino, todavia, se recuperou rapidamente e passou a conectar com jabs no rosto e no corpo. Após uma boa sequência de Ponzinibbio, o brasileiro atacou no double leg e conseguiu uma queda. O argentino, porém, rapidamente se levantou e se desvencilhou. Ele voltou a ditar o ritmo da luta e encurralou o rival com uma série de diretos e cruzados. Santos se sentou e tentou atrair Ponzinibbio para o chão, mas o argentino não caiu no seu jogo. Santiago continuou superior no boxe, embora Léo tenha novamente conectado um belo contragolpe que o balançou. O argentino marcou bem uma entrada em queda de Santos e depois acertou chutes nas pernas antes do fim do round.

Santiago Ponzinibbio acerta golpe no corpo de Léo Santos na semifinal (Foto: Divulgação/UFC)

No segundo round, Ponzinibbio voltou a pressionar com seu boxe e a andar para frente. Santos apenas fugia e tinha dificuldade para encontrar o tempo da resposta. O brasileiro conseguiu uma queda no single leg, mas Santiago bateu no chão e se levantou de novo. Léo ficou deitado no chão e, embora os treinadores pedissem que o argentino desse espaço para que ele se levantasse, Ponzinibbio continuou chutando e cercando. Quando Yamasaki o mandou se levantar, Léo Santos voltou melhor e começou a acertar golpes em linha, andando para a frente. Ponzinibbio respondeu e passou a acertar chutes baixos e jabs no rosto e no corpo. Léo Santos mergulhou numa tentativa de single leg, mas Santiago novamente mostrou boa defesa de queda e acertou uma sequência no boxe. Léo conectou alguns jabs, todavia o argentino continuou superior, apesar de estar mais cauteloso com o braço direito. Ao final do round, um de seus córneres o ordenou que não dissesse nada, ou os médicos poderiam interromper a luta.

Os dois lutadores se abraçaram antes do último round. Em vantagem, Ponzinibbio deu apenas chutes baixos e jabs no começo do período. Léo Santos tomou o centro do ringue e conseguiu uma queda com cerca de 3m30s restando. Na meia-guarda, o brasileiro tentou golpear a cabeça e o corpo no ground and pound. Santiago apenas se defendia e conseguiu se repor de pé, mas Léo rapidamente o recolocou no chão. A maior preocupação dos córneres do argentino era evitar o katagatame do brasileiro, que conseguiu a montada, mas, exausto, apenas pontuou e não conseguiu encaixar suas melhores posições. Ponzinibbio agarrou Léo e o travou até o fim da luta.
Santiago Ponzinibbio cai de joelhos ao ser anunciado vencedor contra Léo Santos (Foto: Divulgação/UFC)

Ao final, Yamasaki ergueu o braço de Ponzinibbio como vencedor por decisão dos jurados. Léo Santos saiu com o rosto bastante inchado, mas aplaudido e elogiado por todos. Werdum e Minotauro consideraram esse combate o melhor do programa.

- Minha luta foi uma guerra, Terceira Guerra Mundial aquilo ali. Quem achava que o Léo era só jiu-jítsu acabou, foi por água abaixo. Perder assim, para mim, não é uma derrota - afirmou Léo Santos.

Em seguida, Ponzinibbio revelou que sofreu uma lesão ainda no primeiro round.

- Quebrei a mão no primeiro round, estou com a mão quebrada, não consegui golpear direito. No terceiro, quando colocava a mão no chão, não conseguia me levantar. Tenho certeza que o osso quebrou, mas lutei com o coração, lutei até a morte - disse Ponzinibbio, que foi cumprimentado por Pezão.

- Parabéns, que luta! Me deu até vontade de lutar - contou o paraibano.

Antes da segunda semifinal, os treinadores revelaram uma aposta: quem perdesse teria de pagar R$ 5 mil ao adversário. Já Minotauro, que virou desafeto de Viscardi após ouvir uma provocação do paulista nas oitavas de final, disse ter prometido a Patolino R$ 5 mil por uma vitória sem nocaute, R$ 10 mil por um nocaute e R$ 15 mil pelo "esculacho".

Viscardi Andrade teve bons momentos contra Patolino na semifinal (Foto: Divulgação/UFC)

Segunda semifinal: William Patolino x Viscardi Andrade

Patolino acertou o primeiro golpe, um chute baixo por dentro. Viscardi apenas girava, mas tentou um chute alto que parou na guarda. O carioca perseguiu o paulista e acertou um bom gancho de direita. Um gancho de esquerda também conectou no rosto. Viscardi enfim acertou com uma sequência de jab e direto no contragolpe, e explodiu para cima do adversário. O lutador do Time Werdum conseguiu um knockdown com um cruzado de direita, mas Patolino se levantou rapidamente e travou o momento do rival com uma tentativa de single leg. O paulista permaneceu de pé, mas foi o tempo suficiente para o lutador do Time Nogueira se recuperar. Patolino conectou com um chute baixo e balançou Viscardi com um gancho de esquerda. Um direto de direita abriu um corte no supercílio direito do paulista. O carioca cercou o adversário e conseguiu colocá-lo de joelho com outro cruzado. Viscardi, todavia, conseguiu um single leg e caiu na posição de 100kg, mas fez pouco por cima.

Patolino maltrata Viscardi após conseguir um
knockdown (Foto: Divulgação/UFC)

No segundo round, Viscardi atacou primeiro, com um jab e direto. Patolino, todavia, mostrou uma boa esquiva em seguida e impediu um double leg. A partir daí, o carioca cresceu e desferiu um direto forte no corpo. O lutador do Time Werdum partiu com boas sequências de upper e cruzado, mas Patolino respondeu com jab e direto e com uma joelhada no corpo. Viscardi voltou a buscar as quedas e conseguiu derrubar, mas Patolino novamente bateu no solo e se levantou. O atleta do Time Nogueira passou a provocar. Viscardi acertou um cruzado de direita, mas Patolino nem sentiu: seguiu andando para a frente com chutes e cruzados. Viscardi desequilibrou o rival com um cruzado de direita, mas foi momentâneo: o carioca logo se levantou e respondeu com jabs no rosto e corpo.

O terceiro round começou elétrico, com Patolino tentando um chute baixo e Viscardi arriscando um cruzado de direita. O lutador do Time Nogueira acertou um direto, mas o paulista continuou andando. Viscardi deu um chute alto que parou na guarda. Ele tentou uma sequência no boxe, mas levou um contragolpe certeiro de Patolino. O carioca tentou uma queda, mas foi defendido. O lutador do Time Werdum também tentou um double leg, mas não conseguiu a queda. Num momento de trocação franca, Viscardi desequilibrou Patolino e acertou um golpe ilegal. A luta foi interrompida brevemente, o que gerou protestos de Fabricio Werdum, mas logo se reiniciou. Pouco depois, um cruzado de direita de Patolino derrubou Viscardi. O paulista tentou travar, mas o carioca conseguiu entrar na meia-guarda e marretou sem parar, até conseguir o nocaute técnico. Os dois ficaram caídos na lona, enquanto o Time Nogueira vibrava na arquibancada, gritando "Uh é 100%".

Patolino subiu à grade para comemorar e chamou Márcio Pedra, seu amigo e companheiro de equipe fora da casa, para um abraço.

- Era para ser eu e você - disse o finalista para o amigo. Ele ainda esbanjou confiança para a final.

William Patolino comemora o nocaute contra Viscardi Andrade (Foto: Divulgação/UFC)

- O garoto de 21 anos aqui está super preparado para lutar com qualquer um que vier, e quem vir... Eu vou cortar - sorriu Patolino, que pediu a ajuda da equipe para convencer Minotauro a pagá-lo R$ 15 mil pelo "esculacho". Ele ainda dedicou a vitória a Luiz Besouro, que foi forçado a sair do torneio por causa de uma lesão sofrida durante o programa.

Com dois finalistas de sua equipe, Minotauro garantiu também o prêmio ao treinador campeão, um carro Renault Duster. No octógono, porém, ele terá de vencer Werdum no próximo sábado, no TUF Brasil 2 Finale.

- Eu garanto essa vitória. Estou muito confiante para essa vitória e 2013 é meu grande momento. Acho que é um passo bem grande para eu poder chegar onde quero chegar, que é o cinturão - disse Werdum.

- Vou com tudo, estou confiante na vitória. Treine muito, Werdum, porque eu estou treinando muito - respondeu Minotauro.



Fonte:GloboEsporte

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Share

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More