domingo, 2 de fevereiro de 2014

José Aldo mantém o título dos penas com atuação cerebral contra Lamas

Campeão controla a luta do começo ao fim, impõe seu estilo e praticamente limpa a categoria com sua sexta defesa do título, esta por unanimidade

>> Siga o Site no Twitter: @DentrodoRingue
>> Siga o Site no Facebook.com/DentrodoRingue

O reinado mais longo do UFC na atualidade permanece intacto. O brasileiro José Aldo usou um plano de jogo meticuloso para derrotar o americano Ricardo Lamas por decisão unânime (triplo 49 a 46) no coevento principal do UFC 169, neste sábado em Newark, EUA, e se manter como campeão mundial dos peso-pena. Foi a sexta defesa de cinturão bem-sucedida do manauara dentro do Ultimate, que já detém o título da organização há 1.170 dias, desde novembro de 2010.

Aldo derrubou mais um obstáculo de forma metódica, lembrando o ex-campeão com mais tempo de reinado, o canadense Georges St-Pierre, que recentemente abriu mão do cinturão após 2.064 dias como rei. O brasileiro andou para frente o tempo inteiro, castigou Lamas alternando chutes baixos e combinações perigosas de golpes no corpo e no rosto, e ainda deu uma amostra de seu jogo de chão, derrubando o adversário duas vezes e quase conseguindo uma finalização no quarto round. O americano ainda mostrou raça e determinação até o fim da luta, que terminou por cima, jogando golpes perigosos no ground and pound que não deixaram os brasileiros comemorarem antes do soar do gongo final.

- (Ele me surpreendeu) Bastante. Ele sentiu bem os golpes, mas ele é um grande lutador. Ele fez por merecer. (O que mais me impressionou foi) A garra dele. Eu sabia que ele iria aguentar os cinco rounds, mas eu estava bem - afirmou José Aldo ao final da luta.

José Aldo acerta golpe em Ricardo Lamas no UFC 169 (Foto: Reuters)

Filho de um cubano com uma mexicana, Ricardo Lamas honrou suas origens ao entrar na arena ao som da música "De México a La Habana", da banda La Sonora Santanera. Com expressão séria, caminhou compenetrado em direção ao octógono, mas se soltou e balançou um pouco ao som da canção enquanto os inspetores da comissão atlética checavam se estava tudo certo com ele. José Aldo veio em seguida, com o habitual aviso: "We're gonna run this town tonight" ("Vamos comandar esta cidade hoje à noite"), refrão de "Run This Town", de Rihanna. Vestido com uma camisa em que tinha a foto da filha Joana, o brasileiro disparou em direção ao octógono e entrou pisando com o pé direito, direto ao córner vermelho, onde se concentrou na missão, sempre olhando para baixo. No momento do anúncio dos lutadores, ficou claro que a torcida no Prudential Center estava do lado de José Aldo.

- Uh, vai morrer! - gritou o público.

Aldo, aclamado vencedor: cinturão mantido pela
sexta vez (Foto: Reuters)

Foi um primeiro round de estudo e tensão. Lamas deu o primeiro golpe: um chute na perna. Aldo, porém, manteve o centro do octógono e ganhou confiança aos poucos. Seus primeiros golpes foram um gancho de esquerda e um direto. O campeão estava ainda se soltando. Logo depois, conectou um jab no corpo. O brasileiro andava para frente, forçando Lamas a se mover lateralmente. O americano jogou chutes altos e pisões laterais, mas Aldo desviava todos. A primeira mostra de poder veio com uma sequência de jab, gancho e chute baixo. Um chute rodado de direita entrou no meio do tranco. Lamas tentou um chute baixo e Aldo marcou, o desequilibrou e partiu para cima, mas o desafiante se recuperou. O brasileiro conectou mais um direto de direita em resposta a um chute alto e apertou o ritmo no fim do round, com golpes no corpo e em cima. Lamas tentou dois chutes rodados que passaram no vazio, e Aldo terminou com uma joelhada voadora e bons socos por cima.

Lamas começou o segundo round tentando mover mais a cabeça e o corpo e acertou um chute alto na guarda de Aldo. O brasileiro continuava cercando-o. Um jab de Lamas entrou. Todavia, quando ele soltou um chute baixo, levou um direto e uma resposta ainda mais forte embaixo, o que se tornaria uma tendência durante a luta. Lamas tentava chutes altos e no meio, mas o brasileiro desviava mais rápido. O manauara soltou uma ótima combinação de três golpes no corpo. Um overhand de Lamas chegou perigosamente no rosto de Aldo, mas o brasileiro contragolpeou com ainda mais perigo. Outro chute de Aldo por fora quase derrubou Lamas. Ele seguiu apostando nos chutes e ia minando as pernas do adversário. Lamas tentava chutes altos e rodados, mas Aldo estava ligado na sua maldade. Nos minutos finais, Aldo acertou um gancho e um upper que Lamas sentiu. Um chute rodado passou no vazio. Ao final do segundo round, os treinadores de Lamas já usavam sacos de gelo na perna esquerda do americano.

Lamas começou o terceiro round com um pisão frontal no corpo. Ele parecia mais confiante e tentou chutes baixos. Aldo, porém, continuava em sua cara, dando jabs e chutes na perna da frente. Lamas tentou um chute alto e levou outro. Uma sequência de chute baixo e direto balançou o americano. Como um tubarão, o brasileiro sentiu "sangue na água", mas Lamas se recuperou. Mais um chute baixo fez Lamas girar 360º. Lamas chutava e Aldo já tinha a resposta pronta: jab e chute baixo. Um overhand também entrou com perigo. O brasileiro conectou golpe no corpo e chute de direita forte contra a grade. Lamas não encontrava o brasileiro com seus chutes altos e diretos. O brasileiro acertava seus diretos de direita sempre que os jogava. Lamas tentou trocar e chutar de esquerda, mas o brasileiro também desviou.

Ricardo Lamas deu trabalho, mas não foi páreo para José Aldo (Foto: Reuters)

No intervalo do terceiro para o quarto assalto, o córner de Lamas confiava que Aldo estava cansado. O brasileiro, porém, logo mostrou que ainda tinha poder em seu chute de direita. Lamas não perdeu tempo: foi para o single leg e empurrou Aldo contra a grade. O manauara, todavia, mostrou excelente defesa de queda: mesmo erguido por Lamas, fez peso sobre o adversário e permaneceu em pé. Ele logo inverteu a posição na grade e ainda conseguiu quedar Lamas, fazendo um gancho com a perna direita. No chão, Aldo pressionou para passar à montada, enquanto o desafiante fugia o quadril para fazer guarda. Na meia-guarda, Aldo desferiu golpes curtos no corpo, sem muito impacto. Lamas tentou travá-lo e acabou cedendo as costas. O brasileiro fechou o triângulo na linha de cintura e fechou um mata-leão, mas não obteve o encaixe perfeito abaixo do queixo. Lamas conseguiu escapar e saiu preso à perna de Aldo, tentando um single leg. O americano pressionou Aldo contra a grade, mas não conseguiu derrubá-lo antes do fim do round.

Atrás nos cartões de pontuação, Lamas acertou dois bons chutes no corpo no início do último round. Quando tentou um overhand, Aldo clinchou e derrubou. Por cima, dentro da guarda, foi soltando golpes curtos no corpo. Ao lado de seu córner, Lamas ouvia as instruções e tentou escalar a guarda. Aldo, porém, mostrou seu pedigreé no jiu-jítsu, no qual é faixa-preta, e passou à montada, onde castigou Lamas com golpes curtos no rosto. O americano, todavia, usou a grade para raspar o brasileiro e caiu dentro de sua guarda. A torcida sentiu o momento virar e começou a fazer barulho. Aldo travava as mãos de Lamas e tentou explodir para sair de baixo, mas levou uma cotovelada perigosa. Lamas fez postura e tentou atacar de cima para baixo no ground and pound, mas o brasileiro se desviava bem. Uma cotovelada entrou com perigo com cerca de 50s restando. Aldo, porém, trouxe o corpo de Lamas para si, o abraçou e travou seu ímpeto. O americano se livrou e terminou a luta golpeando por cima, mas foi insuficiente. O cinturão continua no Brasil.



Por:Adriano Albuquerque, Evelyn Rodrigues e Ivan Raupp/Combate

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Share

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More