quarta-feira, 24 de junho de 2015

Treinador de José Aldo, Dedé lamenta lesão e declara: "Ele está arrasado"

Líder da Nova União acredita que, caso campeão do peso-pena deixe o duelo com McGregor, no UFC 189, retorno ao octógono não acontecerá antes do mês de outubro


Técnico de Aldo levou o atleta ao hospital (Foto: Leandro Lima)

A última terça-feira era para ter sido um dia de treino normal entre os integrantes da Nova União. Ledo engano. Principal nome da equipe,José Aldo, campeão dos penas do UFC, fraturou a costela ao receber um chute giratório de Alcides Nunes, seu companheiro de academia. No comando da atividade estava Dedé Pederneiras, líder do time, e responsável por levar o manauara ao hospital, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro, para ser submetido a exames.

- Ele chorou, quer muito essa luta, foi um investimento de todos os lados. Estive com ele boa parte da tarde. Ele está arrasado, quer a luta de qualquer jeito. Agora tem que esperar o resultado do exame, o laudo. O Aldo está sentindo muita dor - disse Pederneiras, em entrevista exclusiva ao Combate.com.


O técnico, que conhece José Aldo há aproximadamente dez anos, garante que nunca viu o atleta deixar um treinamento por conta de dores.


- Ele terminou o round sentindo muita dor. Não arriou depois do golpe, esperou acabar o round e disse que não dava para continuar. Foi a primeira vez na vida dele que fez isso. Já apanhou muito aqui e nunca fez isso.

Dedé concedeu apenas uma entrevista - mas inúmeras vezes foi inquirido por integrantes da equipe, ávidos por notícias de José Aldo e por curiosos, na torcida para a manutenção da luta contra Conor McGregor, no UFC 189, dia 11 de julho. Entre uma checada e outra no celular - tomado por incontáveis mensagens e ligações - o treinador lamentava a fatalidade.


A nítida chateação de Dedé tem ainda outro motivo: na madrugada de segunda para terça-feira, ele foi ao Aeroporto Internacional Tom Jobim buscar o holandês Andy Souwer, bicampeão mundial do K-1, para reforçar a preparação de José Aldo. Poucas horas depois, a lesão viria a acontecer.

Alcides Nunes em treino com José Aldo: atleta acertou chute rodado nas costelas do campeão (Foto: Raphael Marinho)


- O Andy Souwer veio para ficar 15 dias no Brasil e fez apenas três minutos de treino com o Aldo. É complicado. Trouxemos o cara da Holanda. O Aldo estava treinando focado. Isso é uma coisa que deixa a gente arrasado, ainda mais quando você vê o progresso do cara a cada semana. Nunca houve fratura de costela na minha academia. Ninguém nunca fraturou a costela aqui treinando MMA. Outras lesões já aconteceram, mas, assim, não me lembro. Essas coisas acontecem. Deus quer desse jeito, e não temos como fazer nada

Dedé aguarda novos exames de José Aldo que, possivelmente, vão decretar o veto à participação do brasileiro no card. E, caso isso aconteça, o mais provável é que o campeão só retorne ao octógono a partir de outubro.

- Se a fratura for constatada realmente, o Aldo vai ter que ficar parado, sem fazer nada três ou quatro semanas até consolidar, para depois começar a fazer qualquer tipo de exercício sem forçar a costela. Com isso, ele precisaria do tempo normal para fazer uma luta: um camp de três meses. Acredito que essa luta não aconteceria antes de outubro.


O Ultimate deve se pronunciar nas próximas horas a respeito do provável adiamento da luta. Há ainda a possibilidade - ainda que remota - de José Aldo ser substituído, e Conor McGregor mantido na edição 189. A única posição oficial foi dada por Dana White, presidente da companhia, que pediu que as pessoas relaxassem, na terça-feira, via Twitter.


Tratada com status de "Luta do Século", o combate entre José Aldo e Conor McGregor cresceu em importância após as constantes provocações do irlandês - apimentadas durante a turnê europeia que ambos participaram para promover a disputa.




Por:Marcelo Barone/Combate

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Share

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More